Parece que o UW vai mesmo renascer, mas desta vez com o PWR. A equipa encontrou a Solução. Agora podem prepara-se. Porque vai haver competição...
Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

The Great Tales #1

 

Olá a todos, eu sou o Thegreatone o novo cronista do PWR era eu no teaser de ontem, e esta é a 1ª edição (de muitas, espero eu) de The Great Tales. Para a minha primeira crónica quis arranjar um tema que fosse pouco falado na CWO. Pensei, até que finalmente lembrei-me de um tema. Bem, não é tema, na verdade é um homem. Um homem que, eu acho, que foi pouco falado na CWO. Um homem que ficará para sempre na história do wrestling e da WWE. Esse homem é Bruno Sammartino.

                                        

 Bruno Sammartino nasceu a 6 de Outubro de 1935, em Pizzoferrato na Itália.  Sammartino era o mais novo de 7 irmãos e irmãs. Durante a sua infância, a sua família escondeu-se de soldados alemães numa montanha chamada Valla Rocca, durante os últimos anos da Segunda Guerra Mundial. Em 1951, Sammartino foi para os EUA, e ficou em Pittsburgh na Pensilvânia, onde o seu pai já tinha vivido muitos anos antes.

A 23 de Dezembro de 1959, Sammartino fez a sua estreia na Studio Wrestling–Pittsburgh Promotion, em White Plains na cidade de Nova Iorque, contra Miguel Torres. Ele tornou-se logo muito popular. Em 1966, Sammartino comprou a Studio Wrestling-Pittsburgh Promotion. Apesar de não haver grandes problemas, Sammartino vendeu a empresa em 1971. Os novos donos de Buffalo pediram ajuda a Sammartino para os bookings de Pittsburgh. O programa de TV foi cancelado em 1974 e a área de Pittsburgh tornou-se parte do território da WWWF.

O primeiro combate de Sammartino no Madison Square Garden foi a 2 de Janeiro de 1960 contra Bull Curry (que estava a substituir Killer Kowalski). Dentro de 6 meses, Sammartino era “o cabeça de cartaz” do Madison Square Garden, com combates de tag team com o sue parceiro Antonino Rocca. Durante o seu 1º ano na WWWF, após estar farto de receber pouco e de promessas quebradas, Sammartino saiu da empresa de Vince McMahon Sr. e juntou-se à empresa rival de Nova Iorque, gerida pelo ex-sócio de McMahon, Kola Kwariani. O poder que Kwariani tinha sobre Nova Iorque estava prestes a acabar, devido a poucos espectadores e a pressão da comissão atlética devido à violência. Numa tentativa de recuperar espectadores, Kwariani pôs Sammartino contra o seu antigo parceiro, Antonino Rocca duas vezes durante o seu tempo na empresa. Rudy Miller depois disse a Sammartino para voltar para o McMahon Sr.

Após ter voltado, Sammartino teve ainda menos dias livres e recebia menos do que antes. Sammartino disse a McMahon que iria para São Francisco, para lutar numa empresa italiana gerida por Roy Shire. Após chegar a São Francisco, foi logo informado que não podia lutar em nenhuma empresa, porque estava suspenso após não aparecer num combate em Baltimore. Sammartino descobriu depois que também estava marcado para aparecer em Chicago nessa mesma noite. Sammartino disse que McMahon o tinha lixado, ao marcar-lhe 2 combates na mesma noite, como forma de castigo por ter trabalhado para Kwariani.

Yukon Eric aconselhou Sammartino a contactar o promotor canadiano, Frank Tunney, devido à grande população italiana em Toronto. Com a lenda canadiana, Whipper Billy Watson, Sammartino ganhou o seu primeiro título, o NWA International Tag Team Championship.

A 18 de Fevereiro de 1961, Sammartino enfrentou Chick Garibaldi em Sunnyside Gardens, em Nova Iorque. Durante o combate, Sammartino fez um “body slam” a Garibaldi. Após o fazer, reparou que os olhos de Garibladi rebolaram para trás. Quando o árbitro foi verificar o estado de Garibaldi, este já estava morto. Foi depois determinado que Garibaldi tinha morrido de um ataque cardíaco. No filme “Legends Never Die”, Sammartino disse que demorou muitos anos até ultrapassar esse incidente.

Em Nova Iorque, McMahon Sr. estava com dificuldade em atrair fãs para verem o seu campeão, “Nature Boy” Buddy Rogers. Após várias chamadas, Sammartino conseguiu uma oportunidade de lutar pelo WWWF Title.

                         

                                                                                                                                                                                                        

A 17 de Maio de 1963, Sammartino derrotou Buddy Rogers em 48 segundos, para ganhar o WWWF World Title. Sammartino foi campeão durante 7 anos, 8 meses e 1 dia e é, até hoje, o reinado mais longo da história do wrestling. Sammartino era tão popular que, em 1965, a National Wrestling Alliance (NWA), escolheu-o para derrotar Lou Thesz para se tornar o primeiro wrestler a ter o WWWF World Title e o NWA World Title ao mesmo tempo. Sammartino recusou após saber que, se ganhasse o título, teria meses de bookings sem qualquer tempo livre. A 28 de Setembro de 1965, após um combate com Tarzan Tyler, Sammartino foi jantar a um restaurante em Times Square. Quando voltou, viu o vidro do seu carro partido e o WWWF Title, que estava dentro de uma mala, tinha sido roubado. O título tinha um valor de 10,000$ e não tinha seguro. A WWWF substituiu imediatamente. Sammartino foi cabeça de cartaz de 130 eventos no Madison Square Garden, mais do que qualquer lutador na história.

A 18 de Janeiro de 1971, Sammartino perdeu o título no Madison Square Garden contra Ivan Koloff. O público estava tão espantado com o resultado, que se manteve em silêncio. Sammartino até pensou que a sua audição estava a piorar. Após o pin, Koloff saiu lentamente do ringue enquanto o árbitro levantava a mão de Koloff 3 vezes. Quando Sammartino saiu do ringue, o público estava a chorar. Sammartino disse que a reacção do público perturbou-o.

Duas semanas depois, Pedro Morales derrotou Koloff para ganhar o título. Morales trazia audiências em Nova Iorque, no entanto nas outras cidades era odiado. Em 1973, McMahon pediu a Sammartino que aceitasse ter um combate contra Morales pelo título. Sammartino recusou. Após McMahon dizer que ele ia ganhar mais e ter menos horas de trabalho, Sammartino aceitou. Morales e Sammartino tiveram vários combates de tag team antes de se enfrentarem individualmente. No Shea Stadium, em Nova Iorque a 1 de Setembro de 1972, ambos lutaram 75 minutos até o combate acabar em draw. Este foi o combate mais longo num espectáculo de wrestling daquela altura.

A 14 de Janeiro de 1972, Sammartino voltou a Los Angeles após 5 anos para participar num Battle Royal de 22 homens do promotor Mike LeBelle. Os últimos homens no ringue eram Sammartino e Ripper Collins. Após lutarem durante 5 minutos, repararam que eram os únicos wrestlers no ringue. Após Sammartino ter feito um “body slam” várias vezes a Collins, Sammartino prendeu o Bearhug e Collins desistiu. Sammartino era o campeão, o vencedor de 11,000$ e o terceiro vencedor da Olimpic Battle Royal. Esta marcou a 1ª vez que os fãs da Pro Wrestling Illustrated votaram em “Combate do Ano”. Acabou por ganhar.

                              

 Eventualmente Sammartino recuperou o WWWF Title a 10 de Dezembro de 1973 quando derrotou Stan Stasiak. O seu segundo reinado durou 3 anos, 4 meses e 20 dias. O seu segundo reinado era para durar só 1 ano, mas conforme passavam os anos, Sammartino recebia mais dinheiro para ficar na WWWF. No princípio de 1977, Sammartino disse que o seu reinado como campeão estava acabado devido a uma lesão no pescoço. Perdeu o título contra “ Superstar” Billy Graham após este ter os pés nas cordas.

Após o seu segundo reinado, Sammartino andou em digressão pelos EUA. Ele venceu, entre outros, Blackjack Mulligan, Lord Alfred Hayes e “Crippler” Ray Stevens. Ainda ganhou os WWA Tag Team Titles com Dick the Bruiser ao derrotarem The Valiant Brothers.

Após se retirar a tempo inteiro, Sammartino decidiu voltar à WWF para ajudar a lançar a carreira do seu filho, David Sammartino. Sammartino lutava ocasionalmente, juntando-se ao seu filho em combates de tag team contra Paul Orndorff e Bobby Heenan ou Brutos Beefcake e Johnny Valiant. David apercebeu-se que estava a ser usado por McMahon para que o seu pai lutasse. David despediu-se da WWF o que levou que Bruno lutasse várias vezes para que o seu filho não ficasse na “lista negra” do McMahon.

Em finais de 1985 e 1986, Sammartino teve uma rivalidade com “Rowdy” Roddy Piper após este o insultar no Piper’s Pit. “Comboy” Bob Orton estava no ringue numa tentativa de intimidar Sammartino, o que não resultou. Sammartino derrotou Piper num “Steel Cage” no Boston Garden.

A última grande série de combates de Bruno foi em 1987, contra o Honky Tonk Man pelo Intercontinental Title. Sammartino nunca ganhou, pois os combates acabavam sempre em DQ ou Countout. Bruno teve o seu último combate individual contra Hercules Hernandez. Ganhou por countout. O último combate de Bruno na WWF foi um combate de tag team, onde se juntou a Hulk Hogan para enfrentar King Kong Bundy e One Man Gang.

Após se reformar, Sammartino criticou publicamente a WWE por storylines sem razão e abuso de esteróides, dizendo que Vince McMahon Jr. está a estragar a visão que o seu pai tinha para este desporto.

 Conclusão: Bruno Sammartino foi um grande lutador que será sempre recordado por todos os fãs que adoram este desporto que é o wrestling.

PS: Para a semana trago-vos outro conto, digno de ser contado por mim.

publicado por TheGreatOne às 18:09
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De HardyOTK a 25 de Fevereiro de 2009 às 18:37
está boa, mas era para ser uma bio ou crónica ?

pareceu.me + bio..


De TheGreatOne a 25 de Fevereiro de 2009 às 18:39
Era para ser ambos, apenas decedi que na primeira cronica fazer uma especie de bio. Pa semana e cronica, ate ja tenho um tema muito interessante....


De SPNET a 25 de Fevereiro de 2009 às 20:06
Está bom, boa estreia. Quero ver a primeira crónica ;)


De The Heartbreak Kid a 25 de Fevereiro de 2009 às 21:52
Parabens pelo texto! Primeiro de tudo sê bem vindo, depois fizeste um grande texto. tenta é organiza-lo melhor.

Depois espero pelo teu proximo texto, e que seja melhor que este :D Trata de corrigir os erros caso os vejas xD

Cump'z


De Ricardo Morais a 26 de Fevereiro de 2009 às 19:43
Ta bom ;)


De FaBiNhO a 26 de Fevereiro de 2009 às 11:11
bem antes de mais quero te desejar parabens por esta brilhante cronica/bio...

eu acho que nunca vi o pessoal a falar do primeiro WWE Champion, e tu foste um dos que resumiu a grande carreira dele...

na minha opiniao a cronica/bio podia tar mais bem organizada, ou seja, metias o texto todo alinhado... e nao metas tudo no mesmo tamanho de letra...

estou ansioso por ver a tua primeira cronica apenas... xD

continua e se bem-vindo ao PWR...


Comentar post

MENU RÁPIDO >>

 

ARQUIVOS >>

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009